30.10.08

pátria amada, brasil?

bom, realmente eu não sei há quanto tempo foi escrito e muito menos os motivos pelos quais esse texto surgiu; contudo, achei extremamente interessante os comentários feitos pela psico-pedagoga holandesa deborah clasen sobre o brasil. uma visão crítica muito bem fundamentada e que realmente leva por alguns segundos a imaginação a um patamar de orgulho pelo país. claro, todos sabemos pelos inúmeros infortúnios e problemas que o brasil enfrenta. não somos tolos, silly people (pra deixar mais clara a minha ideia). temos plena consciência que os comentários são sim, muito bem embasados, com um tom irônico nem um pouco convencional, diria que quase gritante. porém, é ainda, muito difícil crer que essa ideia de brasil-nação-do-futuro é muito complexa e contraditória.
pensar num país com uma problemática tão extensa e contrapor isso com um texto deste calibre, mostra que ou realmente concordamos com a ideia gringa de brasil-podre, ou então somos os deslumbrados e apaixonados por um brasil utópico. bom, não quero formar opiniões aqui, mas deixo claro que ao ler o texto fiquei impressionado e do início ao fim arrepiado. exagero? de repente eu veja, por essa reação, que eu ainda tenho uma esperança de crer piamente em todas essas verdades ditas. vale a pena ler:

por deborah clasen (num ctrl+c, ctrl+v bem pegado, sem alterações):


"Os brasileiros acham que o mundo todo presta, menos o Brasil, realmente parece que é um vício falar mal do Brasil. Todo lugar tem seus pontos positivos e negativos, mas no exterior eles maximizam os positivos, enquanto no Brasil se maximizam os negativos. Aqui na Holanda, os resultados das eleições demoram horrores porque não há nada automatizado.
Só existe uma companhia telefônica e pasmem!: Se você ligar reclamando do serviço, corre o risco de ter seu telefone temporariamente desconectado.
Nos Estados Unidos e na Europa, ninguém tem o hábito de enrolar o
sanduíche em um guardanapo - ou de lavar as mãos antes de comer. Nas padarias, feiras e açougues europeus, os atendentes recebem o dinheiro e com mesma mão suja entregam o pão ou a carne.
Em Londres, existe um lugar famosíssimo que vende batatas fritas
enroladas em folhas de jornal - e tem fila na porta.
Na Europa, não-fumante é minoria. Se pedir mesa de não-fumante, o garçom ri na sua cara, porque não existe. Fumam até em elevador.
Em Paris, os garçons são conhecidos por seu mau humor e grosseria e
qualquer garçom de botequim no Brasil podia ir pra lá dar aulas de 'Como conquistar o Cliente'.
Você sabe como as grandes potências fazem para destruir um povo? Impõem suas crenças e cultura. Se você parar para observar, em todo filme dos EUA a bandeira nacional aparece, e geralmente na hora em que estamos emotivos.
Vocês têm uma língua que, apesar de não se parecer quase nada com a língua portuguesa, é chamada de língua portuguesa, enquanto que as empresas de software a chamam de português brasileiro, porque não conseguem se comunicar com os seus usuários brasileiros através da língua Portuguesa.
Os brasileiros são vitimas de vários crimes contra a pátria, crenças, cultura, língua, etc... Os brasileiros mais esclarecidos sabem que temos muitas razões para resgatar suas raízes culturais.
Os dados são da Antropos Consulting:
1. O Brasil é o país que tem tido maior sucesso no combate à AIDS e de outras doenças sexualmente transmissíveis, e vem sendo exemplo mundial.
2. O Brasil é o único país do hemisfério sul que está participando do Projeto Genoma.
3. Numa pesquisa envolvendo 50 cidades de diversos países, a cidade do Rio de Janeiro foi considerada a mais solidária.
4. Nas eleições de 2000, o sistema do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) estava informatizado em todas as regiões do Brasil, com resultados em menos de 24 horas depois do início das apurações. O modelo chamou a atenção de uma das maiores potências mundiais: os Estados Unidos, onde a apuração dos votos teve que ser refeita várias vezes, atrasando o resultado e colocando em xeque a credibilidade do processo.
5.. Mesmo sendo um país em desenvolvimento, os internautas brasileiros representam uma fatia de 40% do mercado na América Latina.
6. No Brasil, há 14 fábricas de veículos instaladas e outras 4 se instalando, enquanto alguns países vizinhos não possuem nenhuma.
7. Das crianças e adolescentes entre 7 a 14 anos, 97,3% estão estudando.
8. O mercado de telefones celulares do Brasil é o segundo do mundo, com 650 mil novas habilitações a cada mês.
Na telefonia fixa, o país ocupa a quinta posição em número de linhas instaladas.
10. Das empresas brasileiras, 6.890 possuem certificado de qualidade ISO-9000, maior número entre os países em desenvolvimento. No México, são apenas 300 empresas e 265 na Argentina.
11. O Brasil é o segundo maior mercado de jatos e helicópteros executivos.
Por que vocês têm esse vício de só falar mal do Brasil?
1. Por que não se orgulham em dizer que o mercado editorial de livros é maior do que o da Itália, com mais de 50 mil títulos novos a cada ano?
2. Que têm o mais moderno sistema bancário do planeta?
3. Que suas agências de publicidade ganham os melhores e maiores prêmios mundiais?
4. Por que não falam que são o país mais empreendedor do mundo e que mais de 70% dos brasileiros, pobres e ricos, dedicam considerável parte de seu tempo em trabalhos voluntários?
5. Por que não dizem que são hoje a terceira maior democracia do mundo?
6. Que apesar de todas as mazelas, o Congresso está punindo seus próprios membros, o que raramente ocorre em outros países ditos civilizados?
7. Por que não se lembram que o povo brasileiro é um povo hospitaleiro, que se esforça para falar a língua dos turistas, gesticula e não mede esforços para atendê-los bem?
Por que não se orgulham de ser um povo que faz piada da própria desgraça e que enfrenta os desgostos sambando.
É! O Brasil é um país abençoado de fato.
Bendito este povo, que possui a magia de unir todas as raças, de todos os credos.
Bendito este povo, que sabe entender todos os sotaques.
Bendito este povo, que oferece todos os tipos de climas para contentar toda gente.
Bendita seja, querida pátria chamada
Brasil!!"

3 comentários:

Ci disse...

Foi escrito por uma gringa mesmo? Essa coisa de internet já atribuiu tanto texto ao Jabor, ao Quintana, ao Borges...

Sei não...

E acredito que a pátria se faz de pessoas. Não adianta ter orgulho só na Copa (e qdo tá ganhando) e o resto do ano necas! E também não sejamos hipócritas. Tem um monte de problemas, sim.

É aquela coisa meio comercial das Havaianas, a gente pode falar mal, mas ai dos outros falarem isso tb!

Beijo da dinda!

Anine Surui disse...

Caramba! Que texto fantástico! Eu penso muito nisso: a gente deve valorizar o Brasil sim. Tenho fé que o nosso povo esteja numa fase de transição e que futuramente sejamos mais conscientes das qualidades do nosso país. Infelizmente, como a ci disse aí acima, só cantamos o nosso hino nacional e choramos com ele durante a copa(enquanto a cada debate político entre Obama e MCcain o hino dos EUA seja aclamado!).
Só percebemos, de fato, o quanto a nossa cultura é forte e maravilhosa quando estamos fora do país. Passei um tempinho nos EUA, tempinho mesmo e fico feliz em dizer que nunca senti tantas saudades do meu povo hospitaleiro. Nunca havia sentido o sentimento patriota tão forte quanto eu senti lá fora e, sincemente, não há primeiro mundo que barre a gente. Podemos ter as nossas chagas e as nossas baixarias políticas, mas nós somos pessoas maravilhosamente otimistas e, é claro, moramos num país tropical abençoado por Deus e bonito por natureza!

P.S.: Vou postar esse texto no meu blog, tá? Acho que vai dar um debate bom por lá. Fique à vontade de comentar, por favor. E farei referências ao seu blog também :)

Alice disse...

Penso que tá na hora de outro post

:P