20.10.08

peças


tem vezes que parece que o mundo está de brincadeira contigo. às vezes eu acho que certas coisas que acontecem nas nossas vidas acontecem, realmente, sem explicação alguma. de repente, num repente, você transforma a vida de alguém que jamais viu na vida. alguém que, além de tudo, traz uma mudança pra nossa própria vida, e quando vê: cadê? o avião já decolou...
essa rotina semanal de sonhos malucos termina na segunda-feira mais próxima; quando a realidade volta a tomar conta de todo o manto diário. acordo e só percebo que foram mais alguns dias vividos com esplêndida encenação, com muitos sorrisos e aplausos. com fãs individuais de artistas particulares. entre quatro paredes entendo como tudo parece cada vez mais surreal; cada vez mais próximo daquilo que o profissional faz. mas, e como aceitar isso pra minha própria vida? eu, tão...tão: eu. tão indiferente a mim mesmo, tão sonhador, tão irresponsável comigo mesmo.
dormir com qual sentimento? será que a minha última face foi aquela de 'abobado'? foi tudo tão rápido. e, ao mesmo tempo tão transformador. o problema, na verdade, não é esse, mas sim, saber que transformação foi essa? os últimos tempos ajudaram a me perder no caminho da racionalidade tão comum na minha personalidade. e agora fico aqui, sem saber o que se passa com a minha própria pessoa, de repente agora fique mais clara a idéia de irresponsável por mim mesmo.
triste ser tão forte pelos outros; saber exatamente onde cada queimadura arde mais forte no choro à minha frente. mas e eu? por que comigo não é fácil de entender isso? já não sei mais o que é que desarma e enfraquece minh'alma. me pego pensando se foram todas essas reviravoltas, todo esse tumulto seguido de um dia-a-dia sem descanso. se foram as muralhas que foram atingidas por bombas de verdade e dor que agora tentam, ou não, serem reerguidas. se foram as coisas mais certas, que no espaço de um 'enter', se tornaram as mais incertas possíveis. foi aquele aconchego negado, olhado com medo e indiferença?
ou ainda mesmo, todos esses momentos de felicidade incontida e altamente inesperados: aquele passeio que há tempos vinha sendo adiado, ou por impossibilidade, ou por falta de tacto - a gente combina!, e que finalmente ocorreu; aquela saída que rendeu a cena espetacular, a sensação de ser vivo e livre, a vontade de sair correndo e dizer tudo de mais feliz que eu tenho sobre todos os seres que 'me abandoram' pelas suas razões. ah!
tudo vem junto, mudando. quem vai dizer que as criancinhas cresceram e hoje têm vidas interligadas por n motivos e meios, mas que são adultos independentes, ainda que por imagem, pois, eu sei, e não adianta vocês negarem: aquele início faz muita falta, aquela alegria de coisas boas emergentes nos tornou mais dependentes uns dos outros do que a gente imagina. é o reconforto de casa, de família...
e mais um final de semana que teve uma estréia confusa, um desfecho incrível e inesperado, e por mais que o final fosse certo: foi espetacular, lindo e surpreendente. o fim de semana fecha as suas cortinas; os aplausos cessam; espectadores e atores voltam para as suas casas. fim de temporada.

4 comentários:

Diego disse...

OMG!

Tem certeza que tu não nasceu da família dos shakespeare's???
hehehehehehehehehe

Parabéns!!!

A vida nos prega cada peça, que o melhor a fazer é assistir o espetáculo com todos os detalhes, aplaudir de pé, ficar abobado com tanta coisa linda dita no palco, e aceitar que acabou essa temporada, mas que com certeza não foi a última!

alliamaral disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
alliamaral disse...

Estranho né,tem coisas q só acontecem para termos a impressão de que "algo" aconteceu, mais será que aconteceu "algo", mesmo, difato?
O ser humano adora se apegar em ficção, em idealizar coisas.

Vivi algo recente, e fiquei tentando racionalizar tudo, vendo de forma mais fria o ocorrido e levando uma série de outros fatores me sinto insseguro, tenho a impressão de ter vivido algo unilateral.Enfim de uma certa forma, fui vítima de minha própria escolha e tenho que bancar os danos dessa ilusão em minha vida e na minha relação.

Ci disse...

Tudo muda o tempo todo no mundo....

Isso não sai da minha cabeça.