31.8.09

da completude

te compraria uma rosa
mas se ela não tivesse as pétalas
pois elas, seriam a representação de quantas vezes eu te toquei
todas as vezes que nos encontrássemos
dar-te-ia uma pétala
e quiçá, um orvalho
pra mantê-la feliz e na esperança de tornar-se completa

quando completasses a rosa
e ela fosse revestida de pétalas vemelhas
tenhas certeza, meu bem
ganhaste mais que pétalas aos poucos
mas sim, meu coração ao final

segue, ó! infame amante
na busca do teu ideal de amor
na (in)consistência da existência humana
na imensidão do poder da vontade

qual o tamanho de rosa que te darias e valeria a pena completar?

[rafa tem ímpetos de poeta mal-sucedido. entende que, muito provavelmente por isso, tornou-se tradutor. declama odes e versa sobre suas desilusões sempre que entra em colapso nervoso na espera de uma mensagem.]

5 comentários:

Alice disse...

que bunitinho!

e fica a pergunta (sim, filosofia)tá habilitado?

Mr. G disse...

Mal sucedido??? como assim??? é demasiado lindo isso q vc escreveu!!!

mega parabéns!!!! abs!

Rafael disse...

Mr. G: olha, muito obrigado mesmo pelo elogio! :)
Volte mais vezes!

Alice: habilitado, só não sei pra qual operadora! comofas?

Alice disse...

yo no estoy =/

y tampoco sé como faz...

Ci disse...

Adoro quando tu escreve "ó!" - assim mesmo, com a exclamação, nas tuas poesias e odes...

Um dia ainda escrevo assim...

Beijo.